<$BlogRSDUrl$>

sábado, agosto 23, 2003

E eu que achei que tive uma merda de dia ontem...

sexta-feira, agosto 22, 2003

Incertezas Nocivas

Orakulo

"Mais uma vez
A noite cai sem explicação
Mais uma vez
O frio vem em pleno verão
Fingimos que houve sentido
Pro que sentimos até então
Foi só dizer que estava bem
Pra tudo voltar
Como devia ser
Você sempre será
A estrela a brilhar
Num céu de incertezas
Nocivas
Deixara no meu peito
Lembranças a mais
Do que uma ferida
Que não cicatriza
Mais uma vez você insiste
Em se arrepender
Mais uma vez você ficou
Sem ter o que dizer
Desistimos de um mesmo
Destino
Que escrevemos ao mesmo
Tempo
Pode ser que tudo passe
Mas acabe do mesmo jeito
Você sempre será
A estrela a brilhar
Num céu de incertezas
Nocivas
Deixara no meu peito
Lembranças a mais
Do que uma ferida
Que não cicatriza
Do pior dia da minha vida
Eu faço a canção mais linda
Do teu amor eu faço flores
Embriagadas de hipocrisia"



Pra quem eu escrevo essa música?

para o Rodrigo (especialmente esse final:
"Do teu amor eu faço flores
Embriagadas de hipocrisia"
)

para os amigos que não tenho, mas continuo procurando...

para o tempo de Arraial

para Arraial

para todos os Sandersons dessa vida...

para o pior dia da minha vida

para mim...

quarta-feira, agosto 20, 2003

You said you liked me, but you didn’t!
You said you wanted to spend years by my side, but you didn’t!
Then you call me to say we are not us anymore.
You make me go to your place, to your mall;
You spend two hours of my life, just to say that we are not us anymore…
And now you said you want us to be friend…
I want to be your friend, I really do!
But how am I supposed to believe in your words, when I just heard lies from you?
You said so many things, such beautiful words…
You brought me the sky, with the sun and all the stars…
You said I was the one…
Than you said bye bye and push me to hell…
But you don’t know the worst:
I don’t miss you, I really don’t… Pay attention:
I miss my BOYFRIEND
I miss someone to hug and to kiss
I miss walking with the hands hold
I miss telling everyone I have a boyfriend
I miss showing everybody that I have a boyfriend….


Bonito? Bem escrito? Não sei. Só sei que é verdade... Pensava que o Rodrigo podia muito bem estar com a ex, mas, de uma forma assustadora, a chapinha do meu cabelo era mais importante ... Não tava nem aí se ele pensava em outra, se saia com outra, se dormia com outra (achava até uma coisa bem possível e realista), desde que eu pudesse exibir pra Deus e o mundo o namorado que eu tinha, que eu pudesse sair com ele de mão dada na rua e passear no shopping e que pudesse andar com ele pela faculdade a tira colo. Era pra isso que servia. E é porque não tenho mais isso que choro quando ligo o icq e não vejo ele visivel so pra mim, quando vejo que não tenho mais chamadas não atendidas ou novas mensagens no celular ou quando vejo ele chegando em lixo ou mascando grama... Não porque ele tem outras (porque acredito sinceramente que sempre teve e que sempre terá...), e sim porque não tenho mais nada pra exibir pro mundo...

Se me perguntarem porque o Rodrigo terminou comigo, não sei; mas sei porque a gente ta separado: namorado não é solução para nenhum problema, namorado não é pra se exibir, namorado não é pros outros, é pra gente. A gente não namora pra mostrar pros outros; a gente não namora porque os outros namoram. A gente não gosta porque namora. A gente namora porque gosta.

Agora eu sei muito bem disso. Será que to mais feliz?

Hoje me pergunto isso: namorava porque gostava ou gostava porque namorava?

terça-feira, agosto 19, 2003

texto idiota escrito pouco antes de revê-lo...
idota, mas tudo a ver....

Melissa não podia culpa-lo; afinal de contas não era culpa dele mesmo. Essas coisas de neurônio não são culpa da gente: falta de QI é coisa de má sorte. Agora o resto era tudo culpa dele. Tudo mesmo, cada detalhe, cada momento ruim, cada frustração era culpa dele e somente dele. Era uma forma de consolo. Não que seus problemas se resolvessem porque ela achou um culpado. Nem a própria Melissa ousaria esperar por isso, mas quando os problemas têm um culpado ficam menores e mais fáceis de serem suportados! Principalmente se a gente pode castigar esse culpado. Sempre nos disseram que não podemos julgar ninguém, mas a vida é assim: desde o momento que acordamos ate quando vamos dormir, julgamos as pessoas: julgamos aqueles que merecem a nossa amizade, o nosso carinho e o nosso amor. E punimos aqueles que não merecem nosso afeto com agressões, ódio e a indiferença, nossa pior forma de punição! Castigamos também aqueles que esnobam nossa amizade, nosso carinho e nosso amor. Ah esses esnobes atrevidos... Esses merecem o pior dos castigos, a mais cruel das punições.
O único objetivo de Melissa agora era puni – lo. Era uma tarefa bastante complicada, já que Melissa não via Rodrigo há muito tempo. Iria encontra-lo em breve, muito em breve; mais cedo do que pensava, mais tarde do que queria. Ou vice-versa. Há essa hora e após tantos acontecimentos ninguém mais sabia o que Melissa pensava ou o que queria. Muito menos ela. O fato é que ela iria revê-lo logo logo e não tinha a menor idéia do que iria acontecer: não sabia se ia rir, se ia conseguir ignora – lo completamente (esse era o plano inicial:ignorar; a essa altura Melissa já sabia que a indiferença era a pior punição! Melissa era inteligente, burro era o Rodrigo), se ia chorar ou entrar em depressão _passar por tudo novamente... Ai que preguiça!

One thing the cursed one left to me: moloko is a little more than sing it back ... Actually, much more... Probably he left me something more, something bad something good. I just don't no, not yet, not today... You can ask me why I'm writing in English. I don't know either. Maybe because engineers can’t speak English. Maybe because its one way of improve my English. Maybe I just don’t know what the hell I’m doing. All I know is that: moloko is a little more than sing it back
Run away train

Call you up in the middle of the night
Like a firefly without a light
You were there like a blowtorch burning
I was a key that could use a little turning

So tired that I couldn't even sleep
So many secrets I couldn't keep
I promised myself I wouldn't weep
One more promise I couldn't keep

It seems no one can help me now,
I'm in too deep; there's no way out
This time I have really led myself astray

Runaway train, never going back
Wrong way on a one-way track
Seems like I should be getting somewhere
Somehow I'm neither here nor there

Can you help me remember how to smile?
Make it somehow all seem worthwhile
How on earth did I get so jaded?
Life's mystery seems so faded

I can go where no one else can go
I know what no one else knows
Here I am just a-drownin' in the rain
With a ticket for a runaway train

And everything seems cut and dried,
Day and night, earth and sky,
Somehow I just don't believe it

Runaway train, never going back
Wrong way on a one-way track
Seems like I should be getting somewhere
Somehow I'm neither here nor there

Bought a ticket for a runaway train
Like a madman laughing at the rain
A little out of touch, a little insane
It's just easier than dealing with the pain

Runaway train, never going back
Wrong way on a one-way track
Seems like I should be getting somewhere
Somehow I'm neither here nor there

Runaway train, never coming back
Runaway train, tearing up the track
Runaway train, burning in my veins
I run away but it always seems the same



This page is powered by Blogger. Isn't yours?